Como calcular o pedágio na hora de realizar viagens a trabalho?

Calcular pedágio
3 minutos para ler

Quem trabalha na gestão de frotas ou utiliza o veículo a trabalho constantemente sabe que uma das grandes preocupações está em calcular pedágios e reembolsos ao viajar. Afinal, elas garantem que os gastos estejam dentro das previsões, viabilizando a saúde financeira do negócio.

Quer saber como fazer o cálculo para as viagens da empresa? Continue a leitura do nosso post para descobrir!

Como calcular pedágio ao viajar a trabalho?

Cada rota tem um número diferente de pedágios e, por sua vez, cada pedágio tem um valor distinto. Como se já não fosse complexo o suficiente, há diferença de valores para veículos de passeio e caminhões, por exemplo. A equação parece complexa à primeira vista para quem depende das estradas e rodovias para desenvolver seu trabalho, não é mesmo?

Porém, hoje em dia é possível contar com recursos tecnológicos (Google Maps, Waze) que facilitam a definição dos trajetos e já mostram quantos são os pedágios na rota escolhida. Aliás, eles são aliados igualmente preciosos para descobrir como economizar combustível, mostrando qual dos caminhos é melhor para chegar ao mesmo destino.

Com isso em mente, analise as rotas possíveis, quais as mais seguras e rápidas (considerando distância, estado de conservação da estrada, obras e até número de radares). Calcule, então, a quantidade e respectivos valores dos pedágios — pode ser interessante verificar se há aumentos previstos no itinerário.

Ao planejar com cuidado você garante maior segurança, economia e rapidez na realização dos serviços.

É possível otimizar o pagamento dos pedágios?

Calcular pedágio é simples quando consideramos apenas um ou dois veículos. No entanto, quando falamos de frotas, a complexidade aumenta. Portanto, o ideal é buscar maneiras de otimizar os deslocamentos a trabalho.

Há quem aposte no estabelecimento valores fixos por colaborador ou que escolha o reembolso. Embora possíveis de serem adotadas, essas são soluções que tendem a gerar desgaste para o gestor de frotas e sua equipe.

Uma terceira opção é o vale-pedágio. Prático, ele permite controle bem mais eficaz e econômico do gasto. Existem soluções impressas — tíquetes de impressão local ou remota — e tags de passagem automática nas cancelas. Assim, fica bem mais fácil para empresa administrar os custos envolvidos nas viagens (para os motoristas também!).

Quais os benefícios da utilização do vale-pedágio?

O primeiro benefício de calcular o pedágio e adotar um vale como meio de pagamento é a segurança. O motorista não trafega com dinheiro, evitando roubos, furtos e extravios dos valores. O arredondamento do troco também fica no passado, uma perda significativa para empresas com grandes frotas e elevado número de deslocamentos.

Outra vantagem é a emissão sob demanda, sem desperdício. Dessa forma, o controle e o gerenciamento dos valores é personalizado. O gestor sabe quais os custos de cada veículo e motorista em cada trajeto, favorecendo a análise de custos geral, bem como a identificação de anormalidades nos processos.

Esperamos ter resolvido todas as suas dúvidas sobre como calcular pedágios e como a adoção de uma solução automatizada pode ser a solução ideal para a frota da sua empresa, personalizando controles e processos.

Quer saber mais sobre o assunto? Então não deixe de conferir nosso post sobre a forma como o pedágio automático traz mais agilidade ao trabalho do motorista!

Você também pode gostar

Deixe um comentário