Pedágio para caminhões: entenda agora como é feito o cálculo

4 minutos para ler

O cotidiano do gestor de uma frota é, muitas vezes, um exercício contábil. Afinal, esse profissional fica responsável pelo cálculo de muitas despesas logísticas da operação, contendo todos os gastos desnecessários, a fim de eliminar desperdícios. Nesse contexto, um assunto importante é o pedágio para caminhões.

Apesar de ele não ser um segredo entre os gestores, vale lembrar que existem muitos custos embutidos nessa tarifa, bem como métodos para agilizar sua equação. Quer se atualizar sobre o assunto? Vamos lá!

O cálculo da tarifa de pedágio para caminhões

Existem duas abordagens que podemos considerar para abordar o cálculo. A primeira atende a curiosidade do amplo público, explicando como as administradoras das praças de pedágio chegam a uma cifra final. Já a segunda, atende especificamente o segmento logístico, apontando o valor da tarifa por eixo do caminhão.

Conhecendo a primeira abordagem, descobrimos que o cálculo do pedágio costuma seguir uma relação próxima com os custos de manutenção da rodovia fiscalizada — de maneira que se chega a um valor médio por quilometragem entre uma praça de pedágio e a próxima.

A grosso modo, esse valor flutua em torno de 7 centavos por quilômetro. Contudo, ele pode diminuir, ou aumentar, de acordo com o número de praças ao longo da rodovia e conforme a complexidade da manutenção dos trechos.

Já a segunda abordagem nos introduz a ideia do multiplicador de tarifas, que acrescenta o custo do pedágio conforme o número de eixos no veículo. Como você sabe, os caminhões podem ser dos mais simples aos mais robustos — o que causa uma grande variação nessas tarifas.

Agora, aproveite nossa dica: caso queira conferir as tarifas praticadas nas principais rotas da sua operação, basta acessar o portal da ANTT, que lista todas as Concessões Rodoviárias em vigência. Então, clique em “Tarifas de Pedágio”.

Aqui, utilizaremos como referência os valores da Autopista Fernão Dias, que administra o setor da BR-381 que conecta Belo Horizonte até São Paulo. Confira:

  • valor simples da tarifa em R$ 2,40;
  • veículos de dois eixos, como caminhões leves pagam R$4,80 (x2);
  • três eixos, como caminhões-trator, com ou sem semirreboque pagam R$7,20 (x3);
  • quatro eixos, como caminhões-trator com semirreboque pagam R$9,60 (x4);
  • cinco eixos, como caminhões-trator com semirreboque pagam R$12,00 (x5);
  • seis eixos, como caminhões-trator com semirreboque pagam R$14,40 (x6).

A inclusão do pedágio no cálculo das rotas

Mas, no fim, você precisa concordar que realizar esses cálculos manualmente acaba sendo um enorme desperdício de tempo útil, o qual você poderia usar para tomar decisões críticas relacionadas à produtividade da frota. Sendo assim, elencamos as melhores dicas para que você minimize os esforços nessa área, agilizando sua operação.

Automatização

Esse é o ponto de largada para todo gestor que deseja atingir o pico da produtividade. Isso porque já existem soluções tecnológicas capazes de analisar as rotas para, então, determinar os melhores caminhos, apontando o número de pedágios e o custo necessário para arcar com as tarifas nesse deslocamento.

Concessões

Como você bem sabe, informação é poder! Portanto, não perca a oportunidade de se manter ligado no custo das tarifas por concessão rodoviária, conforme indicamos no tópico anterior.

Para além de saber os valores atuais, a ANTT também disponibiliza as concessões que estão em fase de implementação, permitindo que você identifique quais serão os trechos que, futuramente, contarão com cobranças.

Pagamento eletrônico

A cobrança do pedágio também pode reduzir a produtividade do seu motorista, que precisa parar em uma fila para realizar o pagamento manualmente.

Agora, multiplique essas sessões de 10 minutos pelas várias estações durante uma viagem. É por conta disso que você deve considerar soluções eletrônicas ao pagamento do pedágio, como as tags, que permitem a passagem automática pelas barreiras.

Por fim, vale lembrar da importância de ser um gestor antenado, e que não tenha receio de implementar tecnologias em sua gestão. Afinal, essas ferramentas só tendem a agilizar o processo, aprimorando sua segurança, aumentando o faturamento e reduzindo os custos.

Gostou deste conteúdo sobre o cálculo do pedágio para caminhões? Então, aproveite para se manter inteirado nos demais temas da sua área, assinando a nossa newsletter!

Posts relacionados

Deixe um comentário