Sabe qual é o perfil do caminhoneiro brasileiro? Descubra neste post!

perfil do caminhoneiro brasileiro
4 minutos para ler

Entender pessoas é uma habilidade bem-vinda em qualquer segmento da economia. É fundamental compreender aqueles à sua volta, identificando qualidades, comportamentos e atitudes que possam colaborar com a sua equipe. Pensando nisso, elaboramos este post especial para falarmos sobre o perfil do caminhoneiro brasileiro.

Embora seja um tema pouco discutido, ele é essencial para entendermos o setor. Por isso, reunimos as suas principais características, apresentando a importância desse assunto, o perfil em si e o impacto que essas informações podem ter sobre a sua gestão. Acompanhe!

A importância de entender o caminhoneiro

Caminhoneiro: o exercício profissional para mais de 2 milhões de brasileiros. Uma cifra que não só demonstra o volume dessa categoria, mas também reforça a importância da classe no deslocamento da produção agrícola, agropecuária e industrial do país.

Para você, gestor da frota, entender o perfil do caminhoneiro significa promover melhores oportunidades para o seu colaborador, fazendo com que ele progrida pessoal e profissionalmente para além do que as estatísticas mostram.

Powered by Rock Convert

Apesar da extensa jornada de trabalho e importância social, as pesquisas demonstram um alto senso de depreciação da própria imagem, segundo as respostas que indicam o que eles acham que a sociedade pensa deles. Conhecer o caminhoneiro brasileiro é descobrir formas de valorizá-lo, o estimulando a melhorar em seu trabalho e fidelizando esse colaborador na sua empresa, maximizando a eficiência e construindo confiança.

O perfil do caminhoneiro brasileiro

Em um primeiro momento, é importante destacar que todas as informações apresentadas abaixo foram extraídas da Pesquisa CNT: Perfil dos Caminhoneiros 2019. Como você sabe, a CNT corresponde à Confederação Nacional dos Transportes e, por isso, conta com a amplitude social e a competência técnica para a realização desse levantamento. Agora vamos aos dados!

Modalidade da prestação de serviços

  • 67% dos entrevistados são autônomos;
  • 33% são empregados de frota.

Idade média

  • 46,5 anos entre os autônomos;
  • 41,5 anos entre os empregados de frota;
  • 44,8 anos entre os caminhoneiros.

Idade predominante

  • 29,6% dos caminhoneiros estão entre 40 e 49 anos;
  • 26,6% estão entre 30 e 39 anos;
  • 21,7% entre 50 e 59 anos;
  • 13,2% com 60 anos ou mais;
  • 8,9% até 29 anos.

Sexo

  • 99,5% desses profissionais são homens.

Escolaridade

  • 29,9% dos caminhoneiros têm o Ensino Médio Completo;
  • 20,5% não completaram o ginásio do Ensino Fundamental (5ª a 8ª);
  • 17,8% completaram o ginásio, mas não o Ensino Médio.

Faturamento mensal bruto médio

  • R$16.062,90 entre toda a categoria;
  • 20,04% informaram acima de R$20.000,01;
  • 20,04% informaram até R$5.000,00;
  • 17,6% não sabiam ou não responderam;
  • 16,3% informaram entre R$5.000,01 e R$10.000,00;
  • 13,9% informaram entre R$10.000,01 e R$15.000,00;
  • 11,4% informaram entre R$15.000,01 e R$20.000,00.

Faturamento mensal líquido médio

  • R$4.608,35 entre toda a categoria;
  • 67,9% informaram até R$5.000,00;
  • 16,5% informaram entre R$5.000,01 e R$10.000,00;
  • 9,9% não sabiam ou não responderam;
  • 4,0% informaram entre R$10.000,01 e R$15.000,00;
  • 0,8% informaram entre R$15.000,01 e R$20.000,00;
  • 0,8% informaram acima de R$20.000,00.

Faturamento mensal líquido médio

  • R$4.608,35 entre toda a categoria;
  • 67,9% informaram até R$5.000,00;
  • 16,5% informaram entre R$5.000,01 e R$10.000,00;
  • 9,9% não sabiam ou não responderam;
  • 4,0% informaram entre R$10.000,01 e R$15.000,00;
  • 0,8% informaram entre R$15.000,01 e R$20.000,00;
  • 0,8% informaram acima de R$20.000,00.

Número médio de dependentes desse profissional

  • 2,6 entre os autônomos;
  • 2,4 entre os empregados de frota;
  • 2,5 entre a categoria.

Quantidade de veículos registrados — apenas autônomos

  • 84,4% informaram um caminhão;
  • 6,7% informaram dois;
  • 5,0% informaram zero;
  • 2,2% informaram três;
  • 1,1% não sabiam ou não responderam;
  • 0,3% informaram quatro;
  • 0,3% informaram cinco.

Idade média do veículo

  • 18,4 anos entre os autônomos;
  • 8,6 anos entre os empregados;
  • 15,2 anos na categoria.

Rotina

  • Trabalham 11,5 horas por dia, durante 5,7 dias da semana;
  • Rodam mais de 9 mil quilômetros por mês;
  • 65,1% consideram a profissão insegura;
  • 31,4% consideram desgastante.

Desafios

  • Aproximadamente 7% dos entrevistados informaram que já tiveram o veículo roubado nos últimos dois anos;
  • 49,5% dos caminhoneiros já recusaram um trajeto pela alta probabilidade de assalto, roubo ou sequestro da rota;
  • 35,9% dos profissionais apontam o valor do combustível como um obstáculo principal.

No fim das contas, cabe a você, gestor, analisar cada um desses pontos para compreender como o seu colaborador pode se sentir valorizado, seja com rotinas mais saudáveis e espaçadas, seja com o investimento em caminhões novos, seja com outras abordagens semelhantes.

Gostou deste artigo esclarecendo o perfil do caminhoneiro brasileiro? Então, aproveite para se especializar no tema lendo o nosso conteúdo sobre a gestão de motoristas!

Você também pode gostar

Deixe um comentário