Pneu de caminhão: 5 dicas de manutenção para a sua frota

4 minutos para ler

O pneu de caminhão é vital para a segurança nas estradas e um dos componentes que mais sofre desgastes. Por isso, toda dica que ajude a conservar esse item tão importante é muito valiosa e deve ser colocada em prática. Você sabe como evitar o consumo excessivo desse item e poupar dinheiro sem correr riscos?

Ao longo deste texto listamos 5 dicas de como manter a manutenção do pneu de caminhão e evitar o seu desgaste prematuro. Continue a leitura e saiba mais!

1. Atente-se às normas legais

Além da falta de manutenção do pneu de caminhão representar um risco à segurança, isso pode gerar sérias consequências à empresa e muitos prejuízos. De acordo com a resolução n° 558/80 do Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN), a profundidade dos sulcos da banda de rodagem tem de ser superior a 1,6mm.

O que acontece se isso não for seguido? Além de multa — o que não é nada bom —, o veículo e a carga são apreendidos, gerando mais custos e muita dor de cabeça. Você sabe como evitar isso? Fazendo um eficiente controle e a gestão de pneus. Continue a leitura e entenda!

2. Controle o uso do pneu do caminhão

Quando falamos em controlar o uso do pneu, não quer dizer para manter os veículos parados. Implementar uma boa gestão é o primeiro passo para evitar o desgaste prematuro e detectar problemas que podem gerar multas e transtornos. Para fazer isso, basta seguir algumas dicas bem simples.

Dê atenção especial ao rodízio de pneus e à manutenção dos freios. Amortecedores e demais componentes da suspensão também têm que estar em ordem. Outra questão são os motoristas: invista em treinamentos e na direção defensiva.

3. Saiba a hora certa de trocar os pneus

Ainda que você faça uma boa gestão dos pneus, uma hora eles terão que ser trocados. A pergunta é: quando? Quando novos, esses componentes podem durar até 80 mil quilômetros, dependendo da forma como eles são usados. Normalmente ligamos a troca ao fato dos sulcos da banda de rodagem estarem baixos, mas não é somente isso que tem que ser considerado.

Rasgos e ressecamento das paredes laterais são sinais de que a hora da troca chegou — esse tipo de problema costuma aparecer em pneus recauchutados. Embora a parte que toca o solo esteja em ordem, pode ocorrer um estouro por danos em outras áreas. Bolhas e deformações também indicam a hora certa de comprar novos componentes, ainda que os sulcos estejam em ordem.

4. Use a marca TWI

Como saber se os sulcos estão em ordem? Você pode usar uma régua e verificar se a profundidade está acima de 1,6mm. No entanto, os fabricantes fizeram algo para ajudar nesse processo. Talvez você já tenha ouvido falar sobre a Tread Wear Indicator (TWI). Assim como nos carros, essa marca indica que a troca tem que ser feita.

Se os sulcos do pneu de caminhão estiverem abaixo da marca TWI, ele é considerado “careca” e tem que ser trocado. O teste da moeda de R$ 1 também é útil e eficaz. A parte dourada tem exatamente 1,6mm, que é a profundidade mínima exigida por lei.

5. Cuide bem da calibragem

Por fim, temos a calibragem dos pneus. Essa é uma etapa fundamental para evitar o desgaste prematuro de vários componentes e manter a segurança. Faça inspeções regulares e siga as orientações do fabricante quanto à periodicidade. Na dúvida, sempre consulte o manual do veículo.

Pneu de caminhão é coisa séria, afinal, além de gerar prejuízos à empresa, o descuido com a manutenção é perigoso. Deixar para depois pode até parecer mais econômico, mas quase nunca é. Siga as dicas que apresentamos hoje, cuide bem da sua frota e colabore para um trânsito cada vez mais seguro.

Gostou do post e que aprender mais? Então siga a CTF no Facebook e no LinkedIn para ficar por dentro de outros conteúdos interessantes como este!

Posts relacionados

Deixe um comentário