Por que calcular a rota é tão importante para o planejamento de combustível?

4 minutos para ler

Administrar uma frota significa cortar despesas, otimizar tempo e aumentar a produtividade. O gestor que atingir esses objetivos pode se considerar um profissional competente, atendendo ao propósito pelo qual fora contratado.

Isso posto, desenvolvemos este conteúdo explicando o ato de calcular a rota, uma prática fundamental nas gestões de qualidade. Interessado em aperfeiçoar a sua empresa? Então aproveite esta leitura!

Qual o objetivo de calcular a rota?

A principal razão está em entregar previsibilidade à operação logística. Realizado com antecedência, o procedimento trará precisão nas estimativas de custos e tempo realizadas pelo gestor. O motorista também ganha com essa prática, pois terá segurança em seu direcionamento, evitando desvios causados por deduções equivocadas.

Como calcular a rota?

Esse planejamento tenta considerar todas as situações possíveis em uma viagem; prevê inclusive um teto de gastos, limitando as despesas durante o trajeto. Sendo assim, entenda que quanto mais completo o planejamento, maior a segurança e previsibilidade da operação. Agora, confira quais são os principais fatores que auxiliam no cálculo das rotas!

O planejamento

Aqui, tudo se trata de antecipação! Primeiro, o trajeto da rota precisará contemplar as demandas do contratante, atendendo o prazo de entrega e a condição da carga. A exemplo: uma empresa que transportará um material extremamente frágil. Nessa ocasião, é recomendável que o gestor opte por trajetos bem pavimentados, sem irregularidades que possam prejudicar a carga e desgastar o prêmio final, recebido pelo frete.

Então, o gestor deve ter a capacidade de adaptação aguçada, pois muitas vezes contará com prazos apertadíssimos, precisando recorrer a atalhos, trajetos e vias que prejudicam o conforto do motorista, em prol de uma entrega a tempo. Além disso, também é importante reconhecer as regiões com maior incidência de roubo de frotas, protegendo funcionário e carga das ações criminosas.

Agora sim, escolhida a rota em função de seu objetivo, realiza-se as estimativas de gastos, considerando os valores em combustível, estadia, escolta de segurança, entre outras generalidades que possam ou não ser aplicáveis nessa prestação de serviço. Todas essas estimativas poderão ser calculadas em diferentes períodos do dia, procurando encontrar em qual circunstância se atinge a melhor relação entre eficiência e custo.

Powered by Rock Convert

O monitoramento

No entanto, não adiantará apenas calcular os custos da rota e discuti-las com contratante e motorista. O gestor precisará garantir que tudo saia conforme planejado, evitando desvios e, na medida do possível, combatendo os imprevistos. Considerando isso, entendemos que existem duas maneiras eficientes de controlar as operações.

A primeira é contar com o rastreamento dos veículos. Para tanto, bastará instalar rastreadores em todas as unidades da frota, conseguindo monitorar localização, velocidade e até mesmo o consumo de combustível, tudo em tempo real. Com isso, sempre que um funcionário fugir do traçado ou exceder a velocidade limite, o gestor será imediatamente notificado.

Já a segunda, contempla os abastecimentos. O administrador poderá contratar uma solução completa, que o permita monitorar gastos, litragens, horários e localizações dos abastecimentos. Além disso, cartões como esse permitem o carregamento apenas com o valor orçado para aquele trajeto, evitando abusos e desperdícios.

A suposição

Além de planejar e monitorar, o gestor precisa supor todos os imprevistos que possam acontecer, disponibilizando um caixa com o qual possa contar mediante situações emergenciais. Também é crucial que haja preocupação com as revisões programadas dos veículos da frota.

Afinal de contas, todas as unidades que não estiverem “em dia” com as manutenções preventivas são bombas-relógio, podendo quebrar no meio da estrada, a qualquer momento. Nessa situação infeliz, perde-se tempo, dinheiro e produtividade; ou seja, um verdadeiro pesadelo logístico.

Como você pôde ver, o cálculo é um procedimento indispensável no corte de custos em uma operação. Trata-se de uma prática simples e que entregará economia nos abastecimentos, previsibilidade nos trajetos e produtividade à empresa.

Gostou desse conteúdo exemplificando como calcular a rota nas suas operações? Então aproveite a sua visita em nosso blog para ler o texto “Conheça 5 indicadores de gestão de frota que fazem a diferença“, melhorando a administração dos veículos da sua empresa!

Você também pode gostar

Deixe um comentário