Profissão caminhoneiro: conheça os principais desafios e as tendências!

4 minutos para ler

Para fazer parte da profissão caminhoneiro, precisa-se ter afinidade e apreço pela vida nas rodovias e estradas. Muito além de um simples trabalho, trata-se também de um jeito de viver. Ceder o conforto dos centros urbanos para trabalhar enquanto viaja é, de fato, uma escolha corajosa.

Continue a leitura e saiba quais são os principais desafios enfrentados pelo caminhoneiro brasileiro — e algumas tendências para ficar de olho!

Qual é a importância da profissão caminhoneiro no Brasil?

Carregamentos valiosos são transportados em nossas estradas diariamente. Em última análise, os caminhoneiros responsabilizam-se por uma grande parcela de fornecimento pelo Brasil, fazendo também um gerenciamento de risco.

Tendo em vista a monopolização desse meio de abastecimento no país (60% de todos os carregamentos internos), os caminhoneiros levam consigo não só os produtos e insumos em si, mas também “tocam para frente” a economia e recursos básicos para a população.

Sua importância pôde ser confirmada na Greve dos Caminhoneiros de 2018, ocorrida em território nacional, causando uma enorme paralização em diversos setores do mercado.

Quais são os principais desafios encontrados?

Tanto poder capital — representado aqui pelos abastecimentos — atrai criminosos que se articulam para roubar ou furtar os caminhoneiros.

Essa insegurança se faz presente nas viagens, mas também quando se necessita fazer paradas em localizações sem o suporte apropriado.

Embora a melhoria da segurança no Brasil ainda não esteja acontecendo, há formas de se precaver. Veja a seguir:

As condições ruins das estradas

Aliado à insegurança, esse é um dos grandes desafios encarados pelos profissionais. Todos que já viajaram por alguma BR conhecem bem seus problemas infraestruturais. Se as construções deficientes causam transtorno até aos automóveis de viagens casuais, definitivamente se trata de um empecilho para os que têm nas estradas seus meios de viver.

Estradas mal sinalizadas, buracos e poças, assimetria… A falta desses recursos e estruturas transforma a viagem em um trajeto arriscado. Não apenas tendo de frear muito e dirigir por mais tempo, os caminhoneiros se tornam possíveis vítimas de acidentes.

A falta de paradas seguras

A “Lei do Repouso” serve para dar maior suporte e assegurar que os motoristas não tenham expedientes exaustivos — os quais, na maioria das situações, arriscam as próprias vidas e as de outrem.

Mesmo sabendo disso, muitos profissionais sofrem com a falta de lugares adequados para descansar. Como resultado, muitos caminhoneiros são obrigados a trabalhar à noite ou de madrugada para conseguir um ponto melhor de repouso.

Ficar sem dormir (ou dormir pouquíssimo) sempre traz consequências. Mesmo que você fique aparentemente bem em situações como essa, a ausência de iluminação prejudica e demanda “mais” de você, o que acaba por piorar a exaustão. Na profissão caminhoneiro, faz-se relevante pesquisar as melhores paradas e não desistir da luta por condições mais dignas.

Quais tendências podem ajudar na profissão?

Felizmente, nenhuma profissão é imutável ou fixa. Com a modernização e automatização de certos processos, há tendências que prometem melhorar a vida dos caminhoneiros.

Algumas delas incluem: diminuição do tamanho dos veículos (se possível) e, consequentemente, aumento no número de automóveis da frota; mais sustentabilidade e diminuição de materiais tóxicos, considerando a alta emissão de carbono que os caminhões produzem; forte preocupação com o bem-estar e a saúde dos profissionais, visando tornar os veículos mais confortáveis, entre outras.

O trabalho dos caminhoneiros vai desde o transporte de insumos para a comunidade até o transporte de cargas mais pesadas, com experiência para movimentar em segurança carregamentos que só são possíveis com dedicação e comprometimento.

Gostou do conteúdo? Para receber mais como esse diretamente em seu e-mail, assine nossa newsletter.

Posts relacionados