Aprenda como fazer o cálculo do ROI da gestão de combustíveis

roi
4 minutos para ler

Certamente, podemos considerar que a logística é um dos setores mais complexos dentro de uma empresa. Afinal, essa área conta com uma enxurrada de informações, que dependem de uma análise cuidadosa para garantir o sucesso da operação. Sendo assim, elaboramos este artigo para discutir sobre o ROI.

Você conhece essa métrica? Embora seja mais familiar ao meio empreendedor, o ROI tem se demonstrado uma estatística fundamental à gestão de frotas, entregando muito poder de decisão nas mãos do administrador competente. Portanto, não perca tempo e acompanhe esta leitura, aperfeiçoando o seu exercício profissional!

O que é o ROI?

Inicialmente, devemos examinar a sigla para descobrir seu significado. O ROI simboliza a terminologia inglesa Return Over Investment. Em uma tradução literal, compreendemos que essa métrica nos indica o retorno sobre um determinado investimento.

Essa estatística é tão famosa quanto utilizada no universo administrativo, pois demonstra, com transparência, o sucesso de uma decisão na sua empresa, apontando o retorno positivo ou negativo, como lucro e prejuízo.

Essa métrica é bastante flexível e, por esse motivo, pode ser aplicada facilmente a qualquer tipo de operação, sobretudo na gestão de frotas. No setor logístico, o ROI é constantemente utilizado para descobrir a eficiência de iniciativas a favor da economia de combustível.

Nesse contexto, o gestor aplicará a fórmula do ROI para conferir a eficácia de investimentos como:

  • a implementação de um software de monitoramento;
  • a atualização da frota com novos veículos;
  • a capacitação dos funcionários.

Como calcular o ROI?

Você já compreendeu a importância dessa métrica e agora pretende aplicá-la na sua operação, certo? Mas como fazer isso? Nesse contexto, você precisará de muita atenção, sobretudo na ausência de um profissional contábil para auxiliar com o cálculo. A fórmula é a seguinte:

(Valor do Lucro – Valor do Investimento) / Valor do Investimento = Retorno sobre o Investimento

No momento do cálculo, fique atento, porque o Valor do Lucro corresponde a todas as economias observadas durante o período em análise. Perceba: muitos investimentos na administração de frotas, como a utilização de softwares de gestão, acabam implicando economias para além daquelas inicialmente desejadas.

Como exemplo: você contrata um software mirando a redução do consumo de combustível. Entretanto, a condução mais dócil dos funcionários, com abastecimentos mais espaçados também acaba impactando a “saúde” do veículo, de maneira que você poderá observar quedas nas despesas com ociosidade nas oficinas, substituição de peças, multas e afins.

Por isso, reforçamos: você precisa considerar todas essas economias na variável Valor do Lucro. Já em Valor do Investimento, basta apontar qual foi o custo da iniciativa, como a contratação de um programa, consultoria, treinamento, entre outros.

Agora, vamos partir para um exemplo prático! Na gestão de uma frota grande, digamos que você observou uma economia geral de R$ 15 mil ao longo do período analisado. O investimento inicial havia sido de R$ 10 mil.

Nesse cenário, qual foi o retorno sobre o investimento?

ROI = (15.000 – 10.000) / 10.000 = 5.000 / 10.000 = 0,50 = 50%

Como se percebe aqui, o retorno foi muito positivo, com uma rentabilidade de 50% sobre o valor inicialmente aplicado para solucionar o problema.

Qual a importância em contar com auxílio profissional nesse cálculo?

Um profissional competente conseguirá analisar os valores com maior precisão, examinando sua operação com olhos experientes e, assim, identificando economias ou despesas que você possa ter ignorado. Portanto, lembre-se: quanto mais completo o cálculo, mais exato será o seu resultado!

O profissional contábil está familiarizado com essa fórmula e rapidamente investigará valores como:

  • os custos ocultos: tarifas, multas, impostos, reparações, depreciação, bonificações, obras, honorários e afins;
  • as receitas discretas: redução de custos, eficiência operacional, corte de etapas, aumento nas ordens de serviço após ação publicitária e muito mais.

Tratando-se de ROI, não há discussão: essa é uma métrica fundamental para a tomada de decisão no cotidiano de um gestor. Afinal, todos os dias demandam uma constante capacidade comparativa, em que o profissional deverá abordar os problemas mirando na eficiência do orçamento.

Agora que você compreende a importância do ROI, já pode entrar em contato com a nossa equipe e conferir as melhores soluções para o controle de abastecimentos no mercado.

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-