Conheça agora os 3 benefícios do vale-pedágio

vale-pedagio
4 minutos para ler

Uma das grandes preocupações dos gestores de frota diz respeito ao pedágio: como garantir o cumprimento de rotas sem precisar fazer adiantamentos em espécie para o motorista? Para resolver essa e outras dúvidas sobre esse importante assunto, preparamos um artigo mostrando os principais benefícios do vale-pedágio.

Quer saber mais sobre essa solução e como usá-la para melhorar os serviços de transporte de carga na sua empresa? Confira, a seguir!

O que é o vale-pedágio?

Os pedágios são cada vez mais comuns nas estradas brasileiras. Porém, por muitos anos, eles eram uma dor de cabeça para gestores e caminhoneiros que precisavam negociar a inclusão do valor no frete, calcular os valores por rota, recolher comprovantes e efetuar reembolsos. Isso além de lidar com os extravios de valores durante viagens.

Depois de muita negociação, o vale-pedágio surgiu como resposta ideal a situação, facilitando a rotina das empresas contratantes, motoristas e diminuindo as chances de evasão de pedágio. O gestor calcula os valores e disponibiliza para a viagem por meio de crédito na tag — afixada no para-brisa do veículo — ou cupons impressos de forma local ou remota.

Como funciona a lei do vale-pedágio?

O Vale-Pedágio Obrigatório (Lei nº. 10.029 de 23 de março de 2001) surgiu como resposta à reivindicação por parte dos caminhoneiros autônomos, que solicitavam a sua desoneração desse pagamento. Até então, era comum incluir o valor do pedágio nos custos do frete — e essa quantia precisava ser fornecida pelo contratante em espécie.

A ideia é que o pedágio faça parte do planejamento financeiro da empresa na hora de planejar a sua logística, não repassando o valor para o motorista contratado para o transporte. Em 2002, a legislação foi alterada, dando lugar à Lei nº. 10.561, para incluir a proibição desse repasse. 

Quais os principais benefícios do vale-pedágio?

São muitos os benefícios do vale-pedágio. Separamos, a seguir, os principais deles para empresas de transporte rodoviário e gestores de frota:

1. Impossibilita perdas e desvios de valores

A lei 10.029, como já dissemos aqui, estabelece a antecipação do valor do pedágio para o motorista. Só que um dos grandes perigos do pagamento adiantado em espécie é o desvio de valores. Afinal, não são raros os casos de roubos e furtos na estrada.

Outro problema são as perdas por arredondamento. O troco pode não fazer muita diferença por jornada, mas pode causar um rombo sério nas contas quando praticado por vários motoristas por muito tempo. O vale-pedágio elimina o repasse de dinheiro vivo e a necessidade de receber troco, ao oferecer crédito exato de cada viagem.

2. Facilita acompanhar o cumprimento da rota

Para fugir do pedágio, alguns motoristas praticam o desvio de rota. A questão é que essas estradas costumam estar em pior estado de conservação e mais propensas a assaltos. Como a gestão do pedágio fica na mão da contratante (ou do gestor), ele pode não apenas estabelecer a rota, mas assegurar que ela seja cumprida.

3. Oferece isenção de impostos

Outra vantagem é o benefício fiscal obtido por meio da isenção de impostos sobre o vale-pedágio. Por não ser reconhecido perante a lei como receita operacional, não precisa ser incluído nos cálculos de IRPJ, CSLL, INSS, Cofins e nas contribuições para o PIS/PASEP.

Agora que você já sabe quais os principais benefícios do vale-pedágio, ficou mais fácil entender por que essa é a solução ideal para o gerenciamento facilitado da logística da sua empresa, seja sua frota própria ou terceirizada.

Para saber como levar essa inovação para seu negócio e ter acesso a outros serviços que com certeza vão ajudar a organizar as operações e cortar custos, conheça o site CTF! Descubra como a empresa pode ajudar você!

Você também pode gostar

Deixe um comentário